As famílias chinesas que vivem em contentores (com FOTOS)

As famílias chinesas que vivem em contentores (com FOTOS)

Não é apenas Cabo Verde que tem graves problemas estruturais de habitação. Há famílias chinesas China que se vêem forçadas a viver em contentores de mercadorias, devido à falta de uma habitação. Por 6.615 CVE (€60) mensais, eles alugam estas “casas” nos arredores de Xangai.

Ao longo das últimas décadas, milhões de pessoas têm-se movido para as cidades em desenvolvimento da China, mas muitas não têm condições para alugar uma casa, com os preços a dispararem em flecha. Elas lutam igualmente por direitos à saúde e à educação pública.

Li Yanxin, oriunda da província de Anhui, informa que ela e outras três famílias migrantes vivem nesta chamada “aldeia contentor” há 10 anos.

Os velhos contentores de mercadorias foram resgatados por um homem de 70 anos, somente conhecido como “homem velho”, que actua como seu proprietário, depois de os ter encontrado inutilizados ao lado de uma estrada. Estão todos equipados com portas, janelas, electricidade e água – e Li diz que ali se sente segura.

Ela dividiu a sua casa de 15 m2, de modo a torná-la também num pequeno supermercado – aí vende alimentos, bebidas e outros produtos de necessidade diária. Tem ainda uma sala de estar com uma cama, um sofá e até uma televisão.

Outra moradora diz que o “homem velho” teve pena de alguns trabalhadores migrantes que sobrevivem da recolha de lixo e estipulou-lhes uma renda muito mais baixa.

Li garante que gosta de viver no contentor. “Os contentores de ferro são bastante sólidos e eu não tenho de me preocupar com escoamentos durante as chuvas ou colapsos do telhado.”

Existia uma aldeia semelhante a esta nos subúrbios de Gaoqiao, em Pudong, em 2011. Mas em Maio do ano passado, as autoridades decretaram-na como um risco para os moradores – um total de 324 contentores foram removidos, incluindo 111 que haviam sido convertidos em casas pelos migrantes.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores