Um paraíso ecológico na aldeia abandonada de Espingueira (com VÍDEO)

Um paraíso ecológico na aldeia abandonada de Espingueira (com VÍDEO)

A localidade de Espingueira, no norte da ilha da Boa Vista, já esteve completamente em ruínas. Hoje, porém, ela é um poço de sustentabilidade, fruto do investimento de uma família italiana que se apaixonou pelo local.

“O ecolodge Spinguera surgiu do sonho do meu pai, que se apaixonou pela ilha e viu nesta aldeia abandonada algo de especial”, explicou a italiana Larissa Lazzari ao Economia Verde. “Eu também fiquei apaixonada, daí a sugestão de reconstruir as antigas ruinas em vez de criar um empreendimento novo”, explicou a responsável.

Aos 36 anos, Larissa orgulha-se de dizer que passou quase um terço da sua vida, 11 anos, em Cabo Verde. E é lá que tenciona construir família e ver os filhos crescer, continuando o sonho do seu pai de conciliar a hotelaria com a sustentabilidade.

Hoje, turistas de vários países dão uma nova vida à aldeia abandonada, há vários anos, pelos cabo-verdianos, devido à seca. “De 1967 a 1978 não choveu em Espingueira”, explicou o mestre de obras António Santos, responsável pelo projecto.

Os trabalhos de construção do Spinguera duraram quatro anos e a mão-de-obra veio da povoação mais próxima. “Fiquei sozinha entre 16 a 18 homens”, gracejou Larissa. “Pouco a pouco fizemos tudo”.

As casas são de pedra e cal e têm 12 quartos. Completam o ecolodge uma recepção, um restaurante, um bar e outras dependências do hotel. “O respeito pelo ambiente e pelas pessoas, cultura e arquitectura local é a nossa vocação”.

O hotel é abastecido por electricidade produzida localmente, com a ajuda do vento e do sol. A água provém de um furo mas, como recurso escasso, os clientes são convidados a poupá-la.

Veja o episódio 266 do Economia Verde, dedicado à morabeza.

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores